Montanhas do Paraná e do Brasil

Montanhas do Paraná e do Brasil

Compartilhe

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Travessia Petro/Tere 3° e ultimo dia



Para ler o relato desde o começo click aqui Castelo do Açu e aqui Pedra do Sino





3° dia – Os últimos quilômetros

criar blog
A noite caí no abrigo 4 e começa a ficar um pouco mais frio. O momento agora é de descanso, depois de um bom banho gelado e uma bela refeição preparada pelos nossos amigos que cada um ajudou a preparar. É momento de bater aquele papo descontraído e lembrar do segundo dia de travessia. Lembrar das 6 horas até o Castelo de Açu e mais 9 horas até o Abrigo 4.

Amanhasse no nosso terceiro dia de travessia, acordamos bem cedo, preparamos nosso café e começamos a desmontar tudo, uma leve neblina tomava conta do camping. Dei baixa no abrigo 4 e começamos nossa descida até a barragem onde o Bob nosso motorista nos esperava. Começamos a descer já era umas 7:00 da manhã. Um sol tímido aparecia no horizonte tomado pela leve neblina, mas que não impedia a vista até a cidade de Teresopolis. De longe avistava toda a baia do Rio de Janeiro e outras montanhas da região. O pessoal se distancia na nossa frente e logo fechando a trilha eu a Denise. Conversamos sobre tudo. Parei para dar uma ligada para a minha esposa e avisando que longo chegaríamos em casa, e que estava tudo bem. Já estava com muita saudade do meu filho e da minha esposa, começava a bater uma angustia de logo chegar em casa e pode-los abraça-los.

A descida até a represa é feita por um caminho bem tranquilo, um zig-zag que parece não ter fim, mas por uma trilha bem aberta sem nenhum obstáculo que mais parece uma estradinha. O resto do pessoal já estava bem afastando, de longe se ouvia suas vozes. Logo um silêncio pairava em nosso caminho e só se ouvia as botas batendo no chão, já se percebia o puro cansaço e a louca vontade de terminar aquela longa caminhada. Passamos por vários trechos de serra e também conosco acompanhava uma linda montanha que até então achei que era a pedra do Sino. Começamos a apertar o passo para não ficar muito distante, mas sem muita presa para chegar, nosso objetivo era chegar antes das 10:00 da manhã. Logo a Denise fica um pouco para trás por alguma necessidade e eu estou mais uma vez só na trilha, comecei a refletir sobre muitas coisas, pensei mais uma vez na minha linda família, no meu trabalho e em toda minha vida. Foi um momento único, acredito que muitos deveriam fazer isso um dia, se desligar dos outros e começar a olhar você. Comecei a pensar em Deus, o quanto ele já fez por mim e pela minha família, momento de agradecer pelos meus amigos e pela minha vida.

Passei por uma linda cachoeira chamada Véu de Noiva, uma queda d’água linda e refrescante. Conversei rapidamente com uns jovens que também estavam descendo. Logo encontro o resto do meu pessoal e juntos começamos a chegar na barragem que é ponto final da travessia. O nosso motorista nos esperava e com muita alegria o abracei, pois nunca imaginei sentir tanta felicidade ao vê-lo. Começamos a comemorar aquele momento juntos, era uma grande vitória para todos. Todos nós já estávamos reunidos e prontos para voltar para casa, agora é aguentar mais um grande desafio, uma viagem longa e cansativa de volta pra casa, mas o que importa é o desafio vencido e saber que o sonho de conquistar essa travessia foi alcança em mais uma grande caminhada rumo ao nosso próprio destino, que é superar as montanhas da nossa vida.


Agradecimento:
Quero agradecer a todos que com muita garra me ajudar a realizar esse grande sonho que era fazer a travessia Petropolis/Teresopolis. Muito obrigado meus amigos e vamos marcar outra.

Início da descida

Teresópolis


Alguém sabe que montanha é essa?




Véu de Noiva



Nenhum comentário: