Montanhas do Paraná e do Brasil

Montanhas do Paraná e do Brasil

Compartilhe

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Muito lixo no Parque Tanguá




Ontem eu e meus amigos fomos dar uma escalada e fazer um rapel só para passar o tempo. Passando o rio do parque Tanguá tem uma pedreira desativada onde é possível fazer algumas escaladas, existe algumas vias e bons paredões para a prática de rapel. Eu e Tanynha chegamos até bem cedo no parque e lá ficamos apreciando a bela vista, as 9:00 descemos até as churrasqueiras onde encontraríamos o resto da turma. Já bastante atrasado chega o pessoal. Geralmente para passar o rio temos que passar por dentro dele, a água é suja e muitas vezes até fede. Para evitar o rio encontramos uma ponte bem improvisada, feito de bracatingas e restos de árvores. E represada nela um verdadeiro descaso do homem, lixo, muito lixo. Era tanto lixo boiando que dava para passar por cima das madeiras que estavam ajudando a represar.
O Homem está cada vez mais destruindo a natureza vai ao parque se divertir com a família, fazem aquele churrasquinho, tomam cerveja a vontade, jogam o lixo no chão e esse lixo vai para os rios. Foi uma tristeza muito grande ver tudo aquilo, pedi até para uma equipe da TV Paranaense fazer uma reportagem sobre o assunto e mostrar para o povo que gosta de parque nos fim de semana o que está acontecendo.
Muitas vezes dizem "ah é só um papel ou plástico que eu estou jogando, não vai fazer tanto efeito assim". Mas ao ver a foto abaixo com certeza vão perceber o que estão fazendo.
Vamos cuidar da nossa natureza, é um apelo.
Assista a reportagem aqui. Muito obrigado amigo Rafa por acompanhar e se disponibilizar seu tempo para essa causa.


Foto tirada no nosso retorno da escala, note que existe uma pequena ponte onde se é possível passar por ela sem problema algum. Esse lixo provavelmente está represado devido a lixos jogados no parque e depois das chuvas fortes o rio transborda e carrega todo o lixo para dentro. Outros casos são pessoas que passar o seu fim de semana no parque e não jogam o lixo nas lixeiras. Foto: Reginaldo Mendes