Montanhas do Paraná e do Brasil

Montanhas do Paraná e do Brasil

Compartilhe

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

4 cachoeiras e um Canyon - parte final - Salto da Mariquinha.


No terceiro dia da nossa aventura o tempo amanheceu com uma pequena vontade de chover, mas era só impressão, logo o sol tomou conta de todo camping. Muitos que estavam acampando já começará a desmontar seus equipamentos para voltar para casa. Já era carnaval e nós nem sabíamos o que estava acontecendo no mundo. Estávamos isolados de internet, tv, celular, etc. Muito bom se pensar direito. Tomamos um café bem reforçado, nos despedimos dos nossos novos amigos que já estava com tudo desmontado e começamos lentamente desmontar nossas coisas. E colocar tudo aquilo no carro não foi fácil, mesmo voltando um pouco mais leve, ainda sim tive que fazer manobras para que coubesse tudo de novo. Nosso próximo destino agora era o Salto da Mariquinha em Ponta Grossa. Voltamos pela mesma rodovia que corta Tibagi, já era umas dez horas da manha quando saímos do camping. Nossa previsão era de chegar no salto da Mariquinha no máximo as 13:00 horas.


Salto da Mariquinha

A Cachoeira da Mariquinha é uma Unidade de Conservação localizada a aproximadamente 30 quilômetros do centro da cidade. No percurso de acesso, a trilha é ladeada por formações de arenito e capões de mata nativa. Aos pés da sua cascata de 30 metros de altura, forma-se um balneário de rara beleza. Um espaço para aqueles que buscam um contato harmonioso com a natureza, sendo um local ideal para acampamentos e caminhadas nas trilhas pela mata nativa da região. Distância do centro: aproximadamente 30 quilômetros. Fonte: (site da prefeitura de Ponta Grossa).

Em duas horas de viajem já estávamos em Ponta Grossa. Logo percebemos que a cidade estava calma. Imaginei então que o salto poderia estar tranquilo ou todo o povo daquela cidade visitando suas cachoeiras. O acesso é quase o mesmo para quem vai para o Buraco do Padre, pela Rodovia do Talco – PR 513. No Km 18.6, a partir do campus Uvaranas da UEPG, logo após o vilarejo do Passo do Pupo, deve-se virar à direita para uma estrada não pavimentada. Após percorrer 1,4 Km deve-se virar à direita em uma bifurcação e seguir pela mesma estrada por 12 Km até chegar ao atrativo. Uma estrada que corta muitas plantações de soja e milho. Avistávamos de longe um tapete de plantações, simplesmente lindo. A estrada não é muito bom e tem muitos trechos estreitos que só passa um carro. É preciso tem paciência e um carro alto para não ficar enganchando nas pedras. Demorou mais de quarenta minutos para chegar até a fazenda. Pagamos uma taxa de R$ 5,00 cada, nem tem uma estrutura boa, banheiro mesmo somente aqueles químicos, não tem lugar para se trocar adequadamente e a lanchonete não é muito boa, portanto é bom levar algo para comer. Percebemos que o povo de Ponta Grossa estava em peso naquele lugar. Estava cheio de mais, deixamos o carro numa sombra, a ideia era ficar o máximo de tempo possível. 

Descemos a pé por uma estrada e logo começamos a trilha. Tinha muita gente espalhada aos redores. Fazendo churrasco e aproveitando o dia. De cara percebi que o local é muito visitado. Em 25 minutos de trilha chegamos no salto, estava lotado, tinha gente para tudo qualquer quanto. Quase não dava para entrar na água. Avistamos pessoas fazendo rapel e percebi muita falta de experiência de quem estava conduzindo o rapel, não tinha capacete de proteção e nem segurança adequada. O Vini logo saiu para brincar na água enquanto achamos um espaço na areia para ficar, mas está muito difícil por causa do sol. Comemos algumas coisas que tinha sobrado e fomos tirar algumas fotos e brincar na água para fechar aquela nossa aventura com chave de ouro. O local me incomodou muito, talvez estava já cansando e com muita vontade de chegar logo em casa. Ficamos umas duas horas no local e logo pegamos nossas coisas e saímos, nós quatro já estávamos bem satisfeitos, agora era só voltar para casa e contar as histórias desses três dias maravilhosos. Na volta muitos ainda estavam começando a chegar no salto. Não tinha mais lugar para deixar o carro. O nosso retorno foi mais chato, demoramos muito para chegar a rodovia. Já passava das 15:00 quando finalmente chegamos na rodovia do Talco, logo pegamos a estrada que leva até a rodovia 376, onde seguimos para Curitiba com o transito bem tranquilo.

Foram num total de 542 km de estrada, 4 lindas cachoeiras e o belo Canyon do Guartelá, foram dias maravilhosos, sem estres, sem som alto, sem barulho de carnaval, somente a natureza a nosso favor. E com certeza isso ira se repetir no próximo ano.










Resumo final


Salto Buraco do Padre
Distância do Centro de Ponta Grossa: 22 km, sendo 6 km de estrada de chão.
Local de fácil acesso para todas as idades, porém com algumas limitações pessoais podem ter dificuldade para chegar até o salto.

Tempo de caminhada: 15 minutos, dá para ir até de chinelo.
Não tem lanchonete ou restaurante no local, somente na estrada próximo a rodovia do Talco

Altura da queda: 30 metros.

Ideal para banho: Sim, até da para ficar de baixo da cachoeira, porém a água é bem gelada.

Entrada: R$ 10,00 inteira ou meia R$ 5,00

Estruturas: Banheiros, churrasqueiras, estacionamento, locais para banho e local para pic-nic.
Mais informações aqui


Canyon do Guartelá
Distancia de Tibagi: 20 km, existe um pequeno trecho de estrada de chão, mas é uma estrada boa.
Local de fácil acesso para todas as idades, o pessoal do parque leva e traz até o final da estrada com o carro de apoio para pessoas de idade e com deficiência motora.

Tempo de caminhada: Para percorrer todo o percurso básico, levasse em torno de 2 horas, mas com muitas paradas para tirar foto. A trilha é toda com calçada de madeira. Existe apenas os panelões para banho. No local não tem lanchonete, somente na entrada do parque próximo a rodovia.

Local para visitação trilha básica: Poço do Sumidouro, mirante, Cachoeira da Ponte de Pedra.

Ideal para banho: Somente no Poço do Sumidouro.

Entrada: Grátis

Estruturas: Casa de apoio (base do parque), banheiros somente na casa de apoio e mais próximo a fazenda particular (existe placas de localização), estacionamento e quiosques. (somente próximo aos banheiros).

Salto Santa Rosa
Distancia de Tibagi: 18 km, sendo 11 de estrada de chão, é preciso ter muita paciência, mas a estrada é larga e fácil acesso.

Tempo de caminhada: 5 minutos, existe um trecho para passar do outro lado da cachoeira que é necessário entrar na água, mas é bem tranquilo e fácil acesso.

Altura da queda: 60 metros.

Ideal para banho: Somente na beira da cachoeira, é proibido mergulho. Mas existe lugares bom para banho dentro da fazenda.

Entrada: R$ 10,00 com direito a usar toda a estrutura do local.

Estruturas: Lanchonete, estacionamentos, quiosques, churrasqueiras, piscinas, rios para banho, banheiros, chuveiros e casa para locação.

Salto Puxa Nervos 
Distancia de Tibagi: 18 km, sendo 11 de estrada de chão, é preciso ter muita paciência, mas a estrada é larga e fácil acesso.

Tempo de caminhada: 10 minutos, fácil acesso para todas a idades e também para pessoas com algumas limitações.

Altura da queda: 45 metros.

Ideal para banho: Sim, é possível chegar bem em baixo da queda. Ótimos para toda a família Não existe local para mergulho.

Entrada: R$ 5,00

Estruturas: Lanchonete e restaurante, estacionamentos, banheiros e campings
Tanto o Salto Puxa Nervos e Santa Rosa é possível fazer rapel, cavalgadas e trilhas. As duas cachoeiras são próximas uma da outra. Informações aqui.

Salto da Mariquinha
Distância do Centro de Ponta Grossa: 30 km, sendo 12 km de estrada de chão não muito boas. Mesma rodovia que segue para o Buraco do Padre, porém um pouco a frente

Tempo de caminhada: 25 minutos de trilha de fácil acesso, porém com algumas limitações pessoais podem ter dificuldade para chegar até a queda.

Altura da queda: 30 metros.

Ideal para banho: Sim, é possível chegar bem em baixo da queda. Ótimos para toda a família.

Entrada: R$ 5,00

Estruturas: Lanchonete (não recomendo), estacionamentos, banheiros, campings e locais para churrascos. Informações aqui.