Montanhas do Paraná e do Brasil

Montanhas do Paraná e do Brasil

Compartilhe

terça-feira, 31 de julho de 2012

Um rio gelado para atravessar

Quando Diana Trigueiro, minha melhor amiga, resolveu voltar para Curitiba e rever alguns amigos pensei na hora em fazer alguma coisa para nos divertirmos. Pensei em montanha, mas o tempo estava um pouco instável. Combinei então com minha esposa de fazermos o Salto dos Macacos, uma queda d´agua de 70 metros de altura localizado na serra da Farinha Seca. Partimos de Curitiba no sábado bem cedo. Descemos a bela Estrada da Graciosa até chegar ao camping do senhor Shiro e da dona Francisca. O camping fica bem próximo à entrada das prainhas sentido engenheiro Lang. Montamos acampamento e em seguida fiz um belo churrasco. Depois que caiu a noite resolvemos tentar dormir para acordarmos bem cedo, mas um imbecil que estava no camping, encheu o caneco e ali ficou a noite inteira incomodando. Gritava a noite inteira e ainda brigava com sua mulher. Um verdadeiro babaca que resolveu sair de casa para quase acabar com nosso passeio. Conseguimos dormir um pouco e logo cedo, depois de um café da manha, fomos para a trilha do Salto dos Macacos.

Começamos a trilha as 08h30min. Logo no começo um grande desafio: tentar atravessar o Rio Nhundiaquara que estava muito gelado. Era difícil ficar muito tempo com os pés na água, tentávamos sempre encontrar uma pedra seca. Depois de uns 20 minutos conseguimos chegar à outra margem do rio. Logo em seguida passamos por mais um rio, mas esse foi bem tranquilo. Água gelada vencida. Agora é só seguir trilha a cima. A caminhada foi bem tranquila, encontrávamos algumas árvores caídas na trilha mas com um pouco de dificuldade encontramos novamente a trilha. Diana e minha Tanynha seguiram firmes e forte até o final da caminhada. Depois de 02h30min minutos de caminhada chegamos ao nosso destino. Eu e minha esposa nos lembramos da ultima vez que fomos para esse Salto, onde ela escorregou e machucou a cabeça, era para fazer um vídeo para o nosso casamento e foi um verdadeiro fracasso. Tiramos muitas fotos, fizemos um bom lanche e descemos a trilha para podermos ir logo para casa. Chegamos à estrada depois de 01h40min de caminhada, todos sujos e molhados, tomamos um belo banho desmontamos o acampamento e partimos para Morretes para comer aquele barreado.











segunda-feira, 2 de julho de 2012

Pedal noturno até Antonina

Bike é algo realmente maravilho e prazeroso, quando você não está na montanha o jeito é pedalar. Heron da Natureza Ar Livre, me convidou para um magnifico passeio de bike noturno pela Estrada Dom Pedro II sentido Antonina, começamos a pedalada as 16h00min saindo de Quatro Barras. O tempo estava magnifico, não estava frio e nem muito quente, agradável. Logo no começo uns dos ciclistas teve o azar do pneu furado, mas nada que o desistisse. Estávamos indo muito rápido, a ideia é fazer bike noturno, então começamos a pedalar mais tranquilo para que a noite chegasse logo.

A noite cai e já estávamos na Trecho Original da Graciosa, conhecida como trilha do Alemão que nos leva a Casa de Pedra, a trilha que leva até o Pico 7 começa ali próximo, nossa próxima parada era o mirante logo no inicio da descida. A Lua cheia nos acompanhava e não estava muito frio, era possível encarar a noitada sem problema. Descemos com cautela a Estrada da Graciosa, a van da Natureza Ar Livre nos dava o apoio necessário. Depois de mais de uma hora de descida chegamos à bifurcação entre Morretes e Antonina.

A estrada sentido Antonina continua interditada por causa das fortes chuvas que ocorreram no inicio do ano, nesse ponto foi o nosso ultimo encontro com todo o grupo, nossa próxima parada, o restaurante que Heron tinha em seu itinerário. O bom dessa pedalada era que não encontramos muitos carros. Chegamos à estada principal que leva até Antonina, agora era momento de superação, mesmo acostumado a pedalar o cansaço começou a tomar conta, mas nada de desistir. Chegamos à cidade de Antonina e logo em seguida no ponto final da nossa pedalada, alguns ciclistas ainda estava distante. Em poucos minutos já estávamos mais uma vez reunidos para bater aquele buffet no restaurante e ir para casa contando nossas historias desse pedal que foi maravilhoso.

Quero agradecer ao Heron da Natureza Ar Livre pelo empenho e dedicação com seu grupo, que sempre possa nos proporcionar esses passeios que ficam em nossa memoria, pelo todo grupo, que mesmo não nos conhecendo me passou toda a confiança como se fossemos velhos amigos. Pela Tati Lima que conheci na pedalada e que mostrou o verdadeiro sentido de superação, pela sua força de vontade e coragem, e chegar muito bem no final do percurso. Todos chegaram bem sem nenhum acidente. Agora é só esperar a próxima oportunidade de ir com todo esse grupo novamente.

Valeu!!!


Em Quatro Barras

Foto: Heron - Natureza Ar LIvre












Foto: Heron - Natureza Ar LIvre





Foto: Heron - Natureza Ar LIvre
Foto: Heron - Natureza Ar LIvre



Foto: Heron - Natureza Ar LIvre






Foto: Heron - Natureza Ar LIvre







Heron de Natureza Ar Livre




Minha bike, um barulho no pedal me acompanhou o tempo todo

Rodovia de acesso a Antonia ainda interditado



61 km
Tempo percorrido com a bike em movimento

Velocidade maxima atingida



Foto: Heron - Natureza Ar LIvre