Montanhas do Paraná e do Brasil

Montanhas do Paraná e do Brasil

Compartilhe

sábado, 24 de dezembro de 2011

Resumo 2011, 2012 vai ser melhor



2011 foi um ano bem conturbado, cheio de altos e baixos, pouquíssimas montanhas, uma ou duas viagens e muitas surpresas, boas e ruins. No inicio foi maravilhoso, o meu casamento muito bem realizado e elogiado por todos, foi um momento muito bonito e alegre para mim e para minha noiva, hoje esposa hehehe. Lua de mel nas praias do Paraná e embaixo de muita chuva. Visita na Ilha do Mel e praia mansa de Caíoba que até então não conhecia. Conhecer Bombinhas foi maravilhoso, foram três dias lindos, uma trilha que precisa muito ser cuidada. O Pico 7 ficou na memoria nesse ano, a superação do meu filho ao subir o Anhangava, um feriado no Marumbi bem molhado e por ultimo a trilha do Itupava depois de longos meses interditado. Poucas aventuras esse ano, por mais que tenha perdido meu emprego no meio do ano e estar até agora batendo um pouco a cabeça para pegar um bom emprego.
Agora, acredito que 2012 vai ser melhor e com certeza logo no inicio já vou ter boas novidades sobre isso. Muitas metas não foram cumpridas algumas foram realizadas, tenho certeza que 2012 vai ser melhor para mim e para a minha família.
Feliz 2012 para todos.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Pedalada Rápida



Nessa sábado dia 03/12/2011, como não tinha nada para fazer fui dar uma pedalada rápida, saindo da minha casa por volta das 14 horas sentido Parque Barigui. O parque estava bem vazio talvez por causa do friozinho que estava fazendo. Dei algumas voltas, parei numa lanchonete para tomar um refri bem gelado e depois parti para o Parque Tingui. Fazia muito tempo que não passava por aquele parque. Na minha opinião um dos parques mais tranquilos de Curitiba, mas não deixa de ser um dos mais bonitos. Na volte fui pela Avenida Fredolin Wolf, uma avenida que passa por Santa Felicidade, Pilarzinho e São Lourenço, a estrada está toda sinalizada e com uma ciclovia maravilhosa, ótima para dar umas treinas com muitas subidas e descidas. Segue ai minhas recomendações para quem quiser conhecer e dar uma boa pedalada, parabéns Prefeitura de Curitiba. No meu monitor foi 32 km, uma pedalada rápida e satisfatória.






Link da reportagem sobre a reforma Gazeta do Povo


Link da reportagem sobre a iluminação Band














quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A ultima esse ano - Itupava







Nesse ultimo sábado 5/11/2011 eu minha esposa e um grupo de amigos resolvemos fazer o Itupava, a trilha foi fechada quase no inicio de 2011 por causa das chuvas e fazia bastante tempo que não descia essa trilha, da ultima vez que a fiz foi em 2010. Completa mesmo do inicio até Porto de Cima faz muito tempo, nem lembro direito, acredito que meu filho não tinha nem nascido ainda. Geralmente quando a faço vou direto para o Marumbi.

Saímos bem cedo e pegamos o ônibus no terminal do Guadalupe às 07h30min. As 9 da manha já estávamos na trilha. Até chegarmos ao Ipiranga estava bem tranqüilo, mas quando chegamos lá tinha uma turma, pessoal acampando na casa do Ipiranga e muitos na roda d’água. Muita gente na trilha, até imaginei isso, com a trilha fechada tanto tempo assim e o tempo bom nesse dia acreditei que estaria assim. Quando chegamos à roda d'água, Patrick e Rafa e mais alguns amigos já estavam lá nos esperando, a idéia era essa mesmo, fazer uma trilha somente eu e minha esposa, mas foi ótima a companhia deles. Eles tinham outro destino fazer rapel na represa e nos dois continuaríamos na trilha e esperaríamos no cadeado. A trilha estava boa, não muito lisa e nem muito barreta. Chegamos na cachoeira para fazer um lanche rápido e tirar algumas fotos. Acreditava que quando chegássemos no cadeado o pessoal que partiu para a represa pelo trilho do trem (nada bom), já estariam la, pois à distância e bem menos. E a minha pequena já demonstrava cansaço e seu joelho já começava a reclamar. Fomos bem devagar e parávamos bastante, chegamos no cadeado e eles não tinham chegado ainda. Fiquei um pouco preocupado pelo fato de vir pelo trilho, poderiam ser barrados e ter que voltar. Ficamos esperando eles uns 35 minutos e logo os avistamos pelo trilho. No cadeado mostrava o quanto tinha gente na trilha. Tinha vários grupos, assim que eles chegaram tomaram fôlego e continuamos trilha abaixo. Rafa nos acompanhou o resto do percurso enquanto os outros, Patrick e companhia seguiam bem à frente e os encontramos tomando banho no rio. Continuamos e logo chegamos na estada de Eng. Lange, não paramos nem um minuto as mutucas estavam bem nervosas. Seguimos até o Iap, demos baixa e milagrosamente pegamos uma carona com um dos meninos que estava nos acompanhando a trilha. Sua namorada o esperava no Iap um alivio para mim e para minha pequena, que já estava bem cansada. Chegamos em Porto de Cimas às 16h30min, seguimos até Morretes numa van fretada na hora, pagamos 30 pila, mas valeu a pena. Chegamos em Morretes e descobrimos que o próximo ônibus era somente às 20h15min, pelo menos deu tempo de comer algo e conhecer um pouco a cidade. Saímos um pouco atrasado de Morretes e em menos de uma hora e meia já estávamos em Curitiba. Acredito que essa foi a ultima aventura desse ano. Um ano muito bom no início, mas bem complicado para mim e para minha esposa.

No começo da Trilha


Na roda D'água

2° fase da trilha sentido Cadeado

Adorei quem fez isso

No Cadeado


De van até Morretes


Esperando o ônibus que demorou muito, o bom que conheci mais a cidade

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Um verdadeiro descaso com a Natureza


Nesse sábado eu e minha esposa e mais alguns amigos fomos fazer o Itupava, e quando chegamos na casa do Ipiranga ou que sobrou dela, me deparei com um pessoal que estava acampando nas proximidades. Que eu saiba é proibido acampar nessa região. E tinha muita gente e com certeza vão lá para jogar mais lixo na casa e destruí o que já está bastante destruído. É gente que diz que foi acampar e que fica se achando a semana toda. Jogam lixo por todo canto e fazem fogueira com a possibilidade de incêndio. Um verdadeiro descaso com a natureza. Cabem os órgãos públicos tomarem uma decisão e fazer com que a ALL tome as devidas precauções para fazer logo a reforma da casa. Acredito que somente assim isso pode acabar.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Trilha do Itupava aberta



Depois de uma longa espera finalmente a trilha do Itupava esta aberta para visitação. Entre o mês de Abril e Maio uma forte chuva castigou bastante a região da serra do mar. A mais castigada foi a Serra da Prata. Ainda é possível ver o estragado feito no Pico Torre da Prata. Na trilha do Itupava caíram algumas arvores e o Iap resolveu por motivo de segurança e evitando que muitos fizessem trilhas alternativas, a trilha foi fechada para manutenção. Depois de seis meses e com muita reclamação de montanhistas e trilheiros da demora finalmente agora é possível fazer a trilha com total segurança e sem medo de ser barrado pelo pessoal do IAP.

 



Mais informações.


Caminho do Itupava é revitalizado e reaberto - 14/10/201117:31O Caminho do Itupava, no Litoral do Paraná, reabre neste sábado (15)depois de ficar fechado por seis meses para reforma e revitalização. Ainterdição aconteceu após as fortes chuvas ocorridas em março e que ocasionou aderrubada de mais de 100 árvores que bloquearam em muitos pontos o caminho eofereciam risco à segurança dos turistas. A maior parte das árvores caiu notrecho entre a Casa do Ipiranga e o término do trajeto. Em muitos pontos tambémocorreram acúmulos de terra, o que encobriu pedras e despejou lama na trilha,deixando-a escorregadia. Para revitalizar o local, o Instituto Ambiental doParaná (IAP), responsável pela Unidade de Conservação, contratou uma empresaespecializada para retirar as árvores caídas e a lama. “A interdição por essetempo foi necessária para não colocar os turistas em risco, além disso,ocorreram mais chuvas e deslizamento nesse período o que atrasou a retirada dasárvores caídas”, explica o diretor de biodiversidade e área protegidas do IAP,Guilherme Vasconcellos. TRAJETO – O Caminho é uma das 68 Unidades de Conservaçãodo Estado, gerenciadas pelo IAP. Está localizado entre os municípios de QuatroBarras e Morretes, região da Serra do Mar. O trajeto preserva um pouco dahistória da colonização paranaense. É uma antiga trilha jesuíta de 22quilômetros construída em 1625 para ligar o Interior ao Litoral do Estado. Alémdas paisagens naturais, os visitantes também podem contemplar as belezasconstruídas há muitos anos como o Santuário de Nossa Senhora do Cadeado e a Casado Ipiranga.

Fonte: Agência de notícias dos Paraná

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Uma responsabilidade de todos

Na minha postagem anterior mencionei um fato que me deixou muito chateado em relação ao camping do Marumbi. Fui voluntário duas vezes, e nessas duas vezes lembro sempre de deixar o lugar organizado ou pedir para que o pessoal que acampa la deixe os banheiros limpos e as pia também limpa. Quando chegamos no Marumbi no feriado de Setembro, percebi que tinha poucas pessoas acampando, provavelmente por causa do tempo que não estava nada animador. Os banheiros estavam totalmente sujos, papel higiênicos a perder de vista as pias dos banheiros também muito sujos, as pias do lado de fora estava uma zona, eu e minha esposa demos uma limpada nas pias, mas não tive coragem se quer limpar os banheiro ou pelo menos tentar, tudo estava nojento mesmo. Percebi que arrancaram o bocal de luz que tinha do lado de fora sentido camping. A sensação que tive era de abandono, ou não tem voluntário para ajudar, na minha opinião voluntário é para essas coisas também e não só ficar anotando visitante ou ficar se achando dono do parque. Conheço aquele lugar a muitos anos, e fico até chateado quando vou pra lá e me aparece um que se quer sabe onde fica a Cachoeira dos Marumbinistas A responsabilidade não é só do IAP é també dos montanhistas que vão para acampar ou simplesmente vão para subir e voltar no mesmo dia, mas acredito que temos que nos conscientizar, e ajudar na limpeza, e também, pedir para que o IAP, que “manda la” tome alguma atitude para manter o camping do Marumbi um lugar lindo como sempre foi.







Sem Bocal









segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Feriado com chuva e com trilha.



Saindo de Curitiba
05-09-2011 Segunda-feira, de um maravilhoso sol, um dia lindo em Curitiba, tudo indica que o feriado de 8 e 9 de Setembro vai ser muito bom. Aproveitei que cairia na quarta-feira e fui comprar passagens de trem (que estava mais barato) para descer até o Marumbi e ficar lá esses dois dias de feriado sem fazer nada, no máximo subir o Rochedinho, coisa leve mesmo. Na terça-feira o tempo muda e começa a chover e na quarta-feira não seria diferente. Já na saída de Curitiba o tempo estava um pouco firme sem chuva, mas com o tempo nada instável, não dava para ver nada, alguns turistas que estavam dentro do trem estavam até indignados com o tempo, inclusive minha esposa que nunca tinha viajado de trem pela nossa serra do mar.









O chaminé




Chegamos no Marumbi as 11h00min e logo que descemos do trem a chuva começa a cair, tive que montar minha barraca em baixo de chuva, minha esposa até que ajudou, mas preferi que ela estivesse segura para não se molhar muito. Montei rapidamente, arrumei tudo, fizemos um bom almoço e adivinha o que fomos fazer? Dormir a tarde toda. Acordamos já era umas 15h00min fiz um bom café e como estava muito chato ficar lá e a chuva tinha parado um pouco resolvi leva-la para o Cadeado. Peguei algumas coisas, descemos a estradinha até a saída do Itupava.






O tempo estava feio



Começamos a subir a trilha, algumas árvores estavam caídas no chão, e a trilha estava muito liso, mesmo de bota estava bem difícil andar com segurança. Passamos pelas pontes, e começamos a subir a trilha do Cadeado. A noite começa a cair e quando mesmos esperava já estávamos no Cadeado, um garoa bem fraquinha caia sobre a trilha e não dava para ver nada adiante, contei até a história ou lenda de uma noiva que passa pelos trilhos a noite, nada para temer, pois nunca vi isso, e não acredito muito também, mas conheço uns amigos que já viram (tô fora). Tiramos algumas fotos e descemos a trilha, uma descida que leva em torno de 40 minutos, fizemos ela em 1hora e 20 minutos, estava muito liso e perigoso, uma queda ali poderia machucar e muito, descemos com cautela para evitar quedas, chegamos sem perceber no final da trilha que já estava bem noite, mas não frio, a chuva tinha parado de vez.




Deslizamento na estradinha próximo na Estação Eng. Lange














Escuradão total








Descansando no Eng. Lange
Chegamos na estação do Marumbi as 21:20 da noite, tomamos um banho fizemos um lanche e fomos dormir. No dia seguinte logo de manhã, tomamos um café e fomos para a cachoeira dos Marumbinistas, uma trilha rápida e fácil de fazer, somente precisa achar a trilha que fica depois do começo da frontal, tivemos que empreitar o mato e chegar bem próximo a ela. Minha esposa guerreira como sempre, chegou bem próximo, só não dava para descer até o pé da cachoeira, pois estava muito liso. Voltamos, fizemos um bom almoço, arroz, feijão, carne de sol e salada, coisa chique para aquele lugar, um verdadeiro banquete a dois. Desmontamos tudo e fomos para a estação para pegar o trem para casa.




Cachoeira dos Marumbinistas
O tempo não era dos melhores, não estava frio, mas bem chato, pouco se via. O Pico do Marumbi ficou todo tempo coberto pela serração, mas não deixou de ser maravilhoso esse passeio, melhor ainda é ter feito com a pessoa certa que minha pequena esposa, que comigo sabe muito bem curtir um bom passeio e uma grande aventura, e também digo que amo aquele lugar faça chuva ou faça sol. O pico do Marumbi para minha continua sendo um dos melhores lugares para praticar montanhismo. Somente algo que esta deixando de desejar que vou contar na minha próxima postagem.

Indo pra casa