Montanhas do Paraná e do Brasil

Montanhas do Paraná e do Brasil

Compartilhe

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Pedal em Piraquara - Reservatório Carvalho





No dia 25 de novembro desse ano, Piraquara promoveu a primeira pedalada Internacional da Natureza, que acompanhou a 7º caminhada. Um evento que teve seu inicio e final no parque Trentino. Segundo os organizadores foram 93 escritos no pedal, percurso de aproximadamente 31 km, passando por diversos pontos turísticos do Caminho Trentino. Meu amigo de pedal e montanha Will, tinha me falado sobre esse evento e me passou um convite imperdível, conhecer um dos pontos do percurso o Reservatório Carvalho a primeira Captação de Água para abastecer Curitiba, inaugurada em 1908, que está aberta ao publico para visitação, e encontra-se na área do Parque Estadual Pico do Marumbi também conhecida como Serra dos Mananciais. Mais informações e agendamentos de grupos pelo telefone: (41) 3673-3310 ou pelo e-mail: ceam-crma@sanepar.com.br.

Partimos bem cedo do nosso bairro, para não chegar muito tarde fomos de carro até a empresa onde trabalho com as bikes no porta bike. Pela 277 até chegar à estrada que nos leva até o Morro do Canal foram 15 km e mais 5 km até o inicio do pedal, fizemos nossa inscrição e partimos. Os organizadores deixaram pontos de apoio e informações, passando por diversas chácaras e vales. Logo estávamos no primeiro ponto de apoio, tiramos algumas fotos e continuamos. Depois de 31 km pedalando até o nosso inicio chegamos ao Reservatório Carvalho.

Fizemos um super lanche, banana, banana e banana, partimos para o final do percurso para almoçar e voltar para a 277, porém os organizadores erraram na quantidade de almoço e acabamos ficando sem comer nada. Tivemos que voltar com a barriga vazia até o inicio de tudo. Foi um pedal muito produtivo num total de 75 km de ida e volta, conhecemos um pouco da história de Piraquara, o histórico Reservatório Carvalho e também uns dos nascentes do Rio Iguaçu “nascente de São Francisco”. Próximo ano com certeza não vou perder esse pedal que foi muito bom.





Nascente São Francisco




Reservatório Carvalho





quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Pão de Loth




Pão de Loth
O morro Pão de Loth está novamente sendo visitado por alguns montanhistas, uma bela vista do Pico do Marumbi, Anhangava, e o conjunto de montanhas que começa no Canal até o Pico 7. (Alfa/Omega). É possível avistar a trilha do Itupava logo lá embaixo. Quem sempre passa na trilha do Itupava sempre o avista imponente e tranqüilo. De Fácil acesso sem muitos obstáculos para enfrentar, a trilha é tranqüila, porém em dias de chuva se torna bem escorregadio. Existem fortes sinais que um dia algumas partes da trilha ira desabar. Neste final de semana depois do pedal que fiz com um amigo meu e reuniu uma grande concentração de ciclistas para o dia Mundial sem carro, resolvi eu e minha pequena montanhista fazer essa maravilhosa montanha, o tempo estava bem preocupante, sinais de chuva apontava e o frio nos esperava no cume.


Totalmente seco
Chegamos ao Iap do Itupava as 10h00min da manha e partimos para a trilha. Resolvemos dar uma rápida passada na cachoeira e ficamos bastante assustados no que vimos, a cachoeira estava seca, pouquíssima água corria na encosta, bem assustador, imaginei até que alguém poderia estar represando a água, mas não acredito nisso. Logo chegamos ao inicio da trilha que fica a direita do Itupava antes de chegar à gruta. Encontramos alguns lixos, garrafa de cachaça, sacolas plásticas e de biscoito um verdadeiro descaso com a natureza. Antes de chegar ao cume, era possível ter visão da trilha do Itupava e um pouco do Anhangava, mas já imaginei que logo acima a neblina logo fecharia nossa visão. Chegamos ao cume depois de 1 hora de caminha do inicio da trilha para o Pão de Loth. Não se enxergava nada, a serração tomou conta de toda a natureza. Um vento forte soprava e o frio era bem forte, fizemos um lanche rápido e voltamos. Na descida peguei o lixo que estava jogado. E em uma hora e meia, já estávamos no Iap novamente. Pedal no sábado e montanha no domingo que combinação perfeita.
















Parece um macaquinho



Lixo retirado da trilha

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Araçatuba, uma das montanhas mais belas do Paraná




Araçatuba tem 1673 metros de altura a nível do mar, é uma montanha que fica localizada em Tijucas do Sul. Para chegar lá é preciso ir pela Br 376 e quando avistar o bairro Matulão, entre na estrada de terra e segue até a chácara da dona Feliciana, o preço para deixar o carro é de 10 R$, se for pernoitar na montanha pode deixar o carro no pátio da chácara, é muito importante ajuda-la, pois com esse dinheiro ela consegue manter o estacionamento limpo e o banheiro bem cuidado. Eu e minha pequena montanhista pegamos a estrada no sábado e começamos a subir a montanha umas 11h00min. Com mochila cargueira nas costas seguimos morro a cima com muita calma e paciência. O sol forte nos castigava, por ser uma montanha muito exposta o ideal é começa-la muito cedo para evitar o sol forte. Cuidamos para não errar a trilha para não temos que embrenhar no mato como da ultima vez que estivemos lá. Em três horas e meia atingimos o cume do Araçatuba. O vento soprava forte, já imaginávamos que a noite ia ser bem gelada. Um casal que de montanhistas que estavam no cume nos indicou um bom lugar para montar a barraca, mas percebi que o vento poderia nos castigar e muito. Ficamos mais próximo a pedra onde está fixada a caixa do caderno. Fizemos um bom café e fomos descansar um pouco. Do outro lado da pedra o vento soprava mais fraco então decidimos mudar o lado da barraca onde fizemos um bom jantar e dormimos com mais tranquilidade. A noite foi bem tensa, uma fraca garoa caia, e o vento tomava conta de todo lugar, as estrelas pouco se via por causa da forte serração. Amanheceu e nada se via a diante, como a duvida se não sabíamos se iria abrir o tempo, resolvemos descer. O retorno do Araçatuba é maravilhoso, tem uma vista única é lindo mesmo, da impressão que vamos ser engolidos pela altura. Chegamos na chácara da dona Feliciana e partimos de volta para Curitiba com a certeza de mais uma montanha realizada.